Nosso Quintal

nosso quintal

o silêncio solar das manhãs
e a magia cantada da nossa felicidade,
recordas mãe o riso aberto
das crianças na paz do nosso quintal?,
a luz filtrada pelos pessegueiros
e a luz maior e muito mais limpa do olhar,
recordas mãe a segurança
calada dos nossos abraços distantes?,
as minhas irmãs meninas, o
meu pai, o teu rosto pequeno, menina,
recordas mãe os domingos
com gasosa e uma galinha depenada?,
a tua cadela sem raça a guardar-nos
e a dormir quieta aos nossos pés,
recordas mãe como morreu
como acabaram os domingos e as manhãs
para nunca mais ser domingo
ou manhã no silêncio do nosso quintal?

José Luís Peixoto, em “A criança em ruínas”.
.

Mundo Pequeno – Manoel de Barros

mundo pequeno manoel de barros

“O mundo meu é pequeno, Senhor.
Tem um rio e um pouco de árvores.
Nossa casa foi feita de costas para o rio.
Formigas recortam roseiras da avó.
Nos fundos do quintal há um menino
e suas latas maravilhosas.
Todas as coisas deste lugar já estão
comprometidas com aves.
Aqui, se o horizonte enrubesce um pouco,
os besouros pensam que estão no incêndio.
Quando o rio está começando um peixe,
Ele me coisa.
Ele me rã.
Ele me árvore.
De tarde um velho tocará sua
flauta para inverter
os ocasos.”

Espera

espera

Sempre existe algo para esperar… Espera-se que a noite acabe e o sol volte a brilhar. Espera-se que a tormenta termine e reine a paz. Que o amanhã seja diferente. Espera-se que a tristeza se transforme em alegria. Espera-se que a dor diminua com o tempo. Espera-se que a ausência seja o relógio do destino marcando a hora do reencontro. Espera-se hoje, amanhã… O futuro é o respirar de mais uma espera.